Nos últimos dias foi observada a presença de centenas de peixes mortos nas praias de Salvaterra, sendo a maioria da espécie Gobioides Broussonnetii, vulgarmente conhecida como amuré ou peixe dragão.

Este acontecimento, de acordo com relatos locais e científicos, tem origem natural, sendo motivada pela brusca variação da salinidade nas áreas de encontro da água doce com a salgada durante as marés de sizígia. E como os peixes tem seus habitats característicos, quando estão em ambientes diferentes dos quais vivem, podem não sobreviver.

Apesar de ser uma situação de causas naturais, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Salvaterra tem buscado novas investigações junto a outros órgãos e Instituições para que possamos saber se há demais fatores influenciando este acontecimento.

E diante do ocorrido, esta Secretaria recomenda:

A SUSPENSÃO DE BANHO NAS PRAIAS, devido ao estágio avançado de decomposição dos peixes, o que pode propiciar a proliferação de microrganismos e este serem nocivos à saúde dos banhistas; ressalta-se ainda, que esta suspensão é temporária, e será liberada após a disponibilização de resultados emitidos pelas Instituições que analisarão a qualidade da água destes ambientes.

Recomenda-se também, o NÃO CONSUMO DOS PEIXES MORTOS encontrados nas areias das praias.

De forma emergencial, a SEMMA em parceria com a SOTUR está realizando a remoção dos espécimes mortos e realizando a deposição destes resíduos em local apropriado e preparado.

No mais, os trabalhos, pesquisas e parcerias continuarão para novos esclarecimentos sejam obtidos e possamos compreender este fenômeno.

Compartilhar:

Os comentários estão fechados.

Acessibilidade